CARTA DE LURDINHA AOS/AS PARTICIPANTES DA ESCOLA NACIONAL DE FORMAÇÃO

27-06-2011 21:30

 Recife, 23 de junho de 2011.

 
Queridos jovens da amada PJMP
 
É com o coração cheio de alegria que chego até vocês. Digo que o faço com alegria, pois de um modo especial, este mês de julho marca os  33 anos de nascimento do Movimento dos Jovens do Meio Popular – MJMP, hoje a nossa Pastoral de Juventude do Meio Popular  - PJMP.
 
Ao celebrarmos  trinta e três anos presente nas vidas, nos corações, nas lutas e nos sonhos de muitos que fizeram e fazem parte dessa história, queremos dizer   que cada jovem  engajado nessa caminhada  é a resposta de que  a presença amorosa de Deus  nos acompanha e nos abençoa.  Percebemos  Sua  força em cada momento dessa história,  pois  sob o olhar terno e carinhoso de Jesus Cristo,     “a semente do Novo lançada  na luta do povo”, cresce  e frutifica.
 
Quantos desafios  enfrentados! No entanto,  esses   foram e são percebidos  como abertura para fazermos a vontade de Deus: vivenciar e testemunhar nossa fé no Cristo Libertador, comprometidos  com a transformação da pessoa humana e da sociedade.
 
Hoje temos consciência de que vivemos em uma sociedade em crise, crise que atinge  de um modo especial  os jovens, que são violentados em  todos os aspectos das suas vidas. No  entanto, é nesse chão que vivemos e   somos chamados a “mostrar  as razões de nossa esperança”.
 
Para isso, amados jovens,  precisamos de uma formação assumida com compromisso e responsabilidade que nos permita enfrentar os desafios que nos são postos. Uma formação que, a partir dos valores evangélicos e éticos  possibilite a descoberta  dos nossos próprios valores e possibilidades. Uma formação  que nos ajude a crescer  no amor e na amizade de Jesus Cristo. Que permita  a    cada um, a cada uma   olhar a própria vida, a sua relação com os outros, com  a natureza e com Deus e assumir a luta na construção do Reino,  reino esse  que já podemos  saborear na terra.
 
Precisamos, pois,  nos apropriar de conhecimentos e habilidades os mais diversos, ao mesmo tempo em que buscamos aprofundar nossa Fé e vivenciar  uma mística - espiritualidade encarnada na história
 
Aproveitemos, queridos jovens,  o  tempo presente, pois é aqui e agora que, como sujeitos  fazemos nossa história, na certeza de que  “com  o coração, com as duas mãos, com todo o povo, a gente faz um mundo novo”.
 
Um abraço carinhoso para cada um, cada uma de vocês na comunhão com a luta dos empobrecidos à luz da fé na pessoa de Jesus Cristo.
 
Lourdes Cavalcante
           

http://pjmpceara.blogspot.com/